Horário de verão

por cri — publicado 22/10/2015 11h50, última modificação 22/10/2015 11h50
O Tocantins não está no horário de verão, mas os serviços bancários tiveram mudanças no horário de atendimento.

O horário de verão brasileiro começou à meia-noite do dia 18/10/2015 e vai até 21 de fevereiro de 2016. Este é o terceiro ano consecutivo que o Tocantins não está entre os estados que tiveram que adiantar os relógios em uma hora. Mas, os serviços bancários tiveram mudanças no horário de atendimento. Quem mora no Tocantins precisa ficar atento aos novos horários de funcionamento das agências e correspondentes, desde o dia 19/10/2015, o horário de atendimento começa uma hora mais cedo e também termina com uma hora de antecedência.

Os Correios informam que o horário de atendimento das agências do Estado permanece normal, das 9h às 17h. Em Araguaína e Palmas, o horário limite de postagem, para o objeto seguir no mesmo dia com destino a outro estado, será reduzido em uma hora. Nas demais cidades não haverá alteração.

Aeroportos: Segundo informações da Infraero, os aeroportos nas regiões Centro-Oeste, Sul e Sudeste do país funcionam de acordo com a programação do horário de verão. Porém, os estados das regiões Norte, entre eles o Tocantins, e Nordeste não entram no regime.

Deste modo, a Infraero recomenda que, em caso de dúvidas sobre horários de voos, os passageiros entrem em contato com as respectivas companhias aéreas.

Histórico: Esta é a 39ª edição do horário de verão no país, a primeira vez ocorreu no verão de 1931/1932. O objetivo é estimular o uso racional e adequado da energia elétrica.

A estimativa de ganhos com a adoção do horário de verão supera o patamar de R$ 4 bilhões por ano, que representa o valor do custo evitado em investimentos no sistema elétrico para atender a uma demanda adicional prevista, de aproximadamente 2.250 MW no parque gerador nacional, um valor certamente muito expressivo. Informações do Ministério de Minas e Energia.

Segundo o Ministério, nos últimos dez anos, o horário diferenciado em parte do país durante o verão, tem possibilitado uma redução média de 4,6% na demanda por energia no horário de pico.

Fonte: TV Anhanguera/G1 Tocantins - http://g1.globo.com/to/tocantins/index.html